Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

www.portofolha.com

é uma página focada na história e evolução de Porto da Folha.

Seja Bem Vindo!

 

 

 

  

Até quando o planeta vai suportar os sucessivos erros humanos?

 

           Essa é uma questão ainda desconhecida, mas os erros humanos têm afrontado com intensidade as leis da natureza. O conjunto de erros com certeza antecipará o fim da própria sobrevivência humana no planeta terra. O absurdo dos mais absurdos que já vi é esta guerra deflagrada por um imbecil de nome Vladimir Putin, nada mais que um ser humano dominado pela ignorância e egoísmo. Observando melhor este monstro humano chego a pensar que se trata da reencarnação de Adolpho Hitler ou algo de natureza semelhante. E as nações que se dizem coordenadoras da paz no planeta? O que fazem até agora? Muito pouco estas nações têm feito para frear o instinto maligno do Putin. Mais entristecido fico quando vejo o governo brasileiro apoiar parcialmente os ideais do genocida Vladimir Putin! Meu Deus, até mesmo o futuro presidente Lula tem ficado em cima do muro no tocante à injusta invasão da Ucrânia pela Rússia. 

          No meu ponto-de-vista as nações unidas estão dando moleza demais para Putin com sanções que muito pouco tem contribuído para o fim desta inútil guerra. Para que este absurdo tenha fim em curto prazo, todas as nações devem se unir e defender a Ucrânia das garras deste imbecil usando seus exércitos e armamentos sofisticados, exceto o atômico.  Ao contrário a humanidade sofrerá ainda mais. Barrar Vladimir Putin é necessário para que a humanidade sofra menos e o planeta fique provisoriamente livre de explosões atômicas em larga escala.

 

Por Joaquim Santana Neto em 29/05/2022

 

 

 

 

 

Altar da Paróquia N. S. da ConceiçãoAltar da Paróquia N. S. da Conceição

Padre Antônio Régis, responsável pela construção da torre direita (sem sino) da igreja matriz de Porto da Folha.Padre Antônio Régis, responsável pela construção da torre direita (sem sino) da igreja matriz de Porto da Folha.