Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

www.portofolha.com

é uma página focada na história e evolução de Porto da Folha.

Seja Bem Vindo!

 
 
 
'Finalmente chegamos a outubro sem plausível êxito no combate às injustiças'
 

          Grande parcela do povo brasileiro continua na expectativa de uma solução do STF que possa anular em definitivo a grande injustiça que pairou sobre Lula. Como brasileiro nato, tenho observado o fato desde o princípio, vejo claramente a influência política envolvendo o judiciário de forma devastadora fazendo com que decisões justas a favor do réu mudem de direção nas considerações finais dos ministros.

          Entendo que o Supremo Tribunal Federal esteja ali para corrigir erros, mas vejo que os erros das decisões anteriores, desfavoráveis ao réu injustiçado, têm se mantido. A impressão que fica é facilmente distinguida, nota-se temor no semblante de cada ministro quando o assunto é Lula, isto somente eleva a desconfiança do povo no STF, aparentemente acuado pelas ameaças sofridas, algo que não deve acontecer neste país, pois o Supremo está ali para sanar erros como este. O supremo está ali para decidir e corrigir sem nada temer, e não para se amedrontar e simplesmente manter decisões equivocadas de outras instâncias.

          Ainda resta um pouco de esperança na Justiça brasileira, que possa o STF definir livremente concedendo ao notável ex-presidente Lula o direito a um julgamento justo e sem interferência política ou jornalística, pois não se comprovou até agora ser o injustiçado o dono do tal tríplex ou sítio, bens pelos quais foi condenado. Também não se tem notícia de que este possua conta bancária no exterior. Assim sendo, os mais humildes consideram Lula um preso político pagando por algo que não cometeu. Seria interessante para a Justiça brasileira corrigir este equivoco antes que a comissão internacional dos direitos humanos intervenha no caso.  

 
 Por  Joaquim Santana Neto, 01/10/2019